Formada como Bacharel em Artes Cênicas, com habilitação em Interpretação Teatral pela Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), SANDRA VARGAS é uma das fundadoras do GRUPO SOBREVENTO, um dos mais importantes Grupos de Teatro do País, reconhecido como um dos maiores especialistas brasileiros em Teatro de Bonecos e de Animação. Esteve indicada, em 1989, como Melhor Atriz e Revelação de Melhor Atriz para os PRÊMIOS MAMBEMBE E COCA-COLA. Em 2000, ganhou o PRÊMIO APCA (da Associação Paulista de Críticos de Arte) de MELHOR ATRIZ. Com o SOBREVENTO, em 1988, recebeu bolsa de estudo do governo francês para fazer curso com o marionetista Phillipe Genty, da Companhia Phillipe Genty, de Paris, e com Yves Marc e Claire Heggen, da Companhia Théâtre du Mouvement, também de Paris. Representou o Brasil no I Encontro Sul Americano de Marionetistas, em Trujillo, Peru, em 1988. Criou os espetáculos Ato sem Palavras, Um Conto de Hoffmann, Sagruchiam Badrek, Mozart Moments, Beckett, O Theatro de Brinquedo, Ubu!, Cadê o meu Herói?, O Anjo e a Princesa, Brasil pra Brasileiro Ver, Submundo, O Cabaré dos Quase-Vivos e O Copo de Leite, com os quais fez temporadas em dezenas de cidades de vários estados. Participou dos Festivais Internacionais de Teatro de Campinas, Canela, Curitiba, Porto Alegre, entre outros, e ganhou os Prêmios Coca-Cola de Teatro Infantil e Maria Mazzetti (da RioArte) em 1991, o Prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem em 1995, o Prêmio Mambembe (da Funarte/Ministério da Cultura) em 1999 e, em 1995 e 1996, por duas vezes consecutivas recebeu o Prêmio Estímulo (do Ministério da Cultura), pelo conjunto dos trabalhos realizados e “pela sua contribuição ao panorama das Artes e à Cultura do país”. Por seu trabalho de pesquisa - e, mais especificamente, pelo desenvolvimento do Teatro de Animação -, esteve indicada, junto ao SOBREVENTO, para os PRÊMIOS SHELL e MAMBEMBE. SANDRA VARGAS trabalha como atriz e manipuladora em todos os espetáculos do GRUPO SOBREVENTO e organizou a Mostra Internacional de Teatro de Animação RIO BONECOS 92 (no Centro Cultural Banco do Brasil) e a MOSTRA MARIA MAZZETTI DE TEATRO DE BONECOS 95 (no Teatro Ziembinski), que trouxe ao Rio de Janeiro e a São Paulo Companhias da China, Espanha, Suécia, França, Chile, Argentina, além de Grupos e solistas de outros estados do Brasil, além de ter sido curadora do Primeiro Festival Internacional de Teatro do Rio de Janeiro, RIO CENA CONTEMPORÂNEA, em 1996. Com o GRUPO SOBREVENTO, promoveu, também, palestras, mesas-redondas e oficinas (destinadas a professores, crianças, jovens, ou profissionais de Teatro) em diversas áreas do Teatro de Animação, em várias cidades, como São Paulo, São Carlos, Santos, Ribeirão Preto, Bauru e Rio de Janeiro, entre outras. Em São Paulo, em 1994, promoveu junto à Oficina Cultural Amácio Mazzaropi, uma oficina com duração de três meses, para formação de profissionais nas áreas de interpretação, direção e confecção no Teatro de Bonecos. Em janeiro de 1995, promoveu na Universidade Católica Blas Cañas, em Santiago do Chile, com duração de um mês, uma Oficina de Teatro de Animação, para professores, o curso teve o reconhecimento do Ministério de Educação do Chile. Apresentou-se, com diferentes peças de seu repertório em dezenas de cidades brasileiras e em diversas cidades do Chile (1996 e 2002), Colômbia (1998 e 2002), Espanha (1997, 1999, 2000, 2001, 2004 e 2007), Irlanda (2000), Escócia (2000), Argentina (2001 – duas turnês) e Angola (2004).